Chat Feminino
Cinema

Para Curtir: O Fabuloso Destino de Amélie Poulain

Hoje eu quero falar para vocês de um filme que, na minha opinião, é fantástico.

Sem dúvida alguma está no topo da minha lista de preferidos.
É a história de uma mulher-menina que, através de sua inocência e atitudes, transforma sua vida e a de todos ao seu redor. Seu nome? Amélie Poulain.

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (Le fabuleux destin d’Amélie Poulain, no original) é um filme francês de 2001 dirigido por Jean-Pierre Jeunet, que consegue de uma forma sensível, combinar o fantástico e a realidade cotidana.

Como já dito, o filme conta a história de Amélie (vivida por Audrey Tatou, de O Código da Vinci), desde sua infância solitária (uma sequência que emociona de tão bem feita). Quando adulta, ela passa a morar em Montmartre, em Paris e a trabalhar como garçonete. Certo dia, encontra em seu apartamento uma caixinha de brinquedos e ‘preciosidades’ (toda criança já teve uma rsrs), então decide procurar seu dono. Este acontecimento marca uma mudança em sua vida. Ela passa a encarar pequenos gestos como formas de mudar vidas e é isso que ela passa a fazer, encantando a vida das pessoas que vivem ao seu redor.

Em uma dessas experiências, conhece Nino Quincampoix (Mathieu Kassovitz) e a relação entre eles torna-se uma das mais belas já apresentadas no cinema.

A configuração dos personagens é divina. Cada um com seus traços tão humanos que chegam a ser quase irreais. Nos apaixonamos por cada um deles, pois os conhecemos pelo ponto de vista da própria Amélie (que é apaixonada pela vida). Nessas relações o interessante é que a transformação é mútua… A própria Amélie se transforma a cada contato transformador (eu dou um destaque para a relação dela com o “Homem dos Ossos de Vidro”).

O filme concorreu a 5 Oscars (Filme Estrangeiro, Direção de Arte, Fotografia, Som, Roteiro Original).

Tecnicamente falando é uma película que não deixa nada a desejar. A fotografia é usada de forma a realçar os personagens ou as emoções (reparem no excesso de verde e vermelho, que faz um diferencial). As imagens são poéticas em alguns momentos. A edição e o som acompanham os olhos e ouvidos curiosos da Amélie de uma forma super natural. O roteiro é encantador, nenhuma situação é tratada de forma superficial. E a música… Ah, a música! A trilha composta por Yann Tiersen dá vontade de sair rodopiando e sendo feliz… Sério, sem exageros! rsrs

Enfim, deu pra perceber que eu gosto muito do filme né? Se alguém já viu, comenta aí para eu saber algumas opiniões e quem não viu, procurem. Eu recomendo muito.

You Might Also Like...

4 Comments

  • Reply
    Natalia Linhares
    10 de março de 2011 at 4:26 pm

    Como diria nary, esse filme é muito amor no coração! hahahaha Amo de verdade.
    Não achei nada nele que não seja maravilhoso e já tratei de adquirir o meu há tempos. =} Quem não viu ainda, corra!

    Bjos, meninas.
    Parabéns pelo post.

  • Reply
    I LOVE PINK
    10 de março de 2011 at 8:43 pm

    parece legal. gostei da dica!

  • Reply
    Ana
    11 de março de 2011 at 8:58 am

    Adorei a dica. =) Esse é o tipo de filme que adoroooo. Parabéns para a nova colaboradora. Texto bem escrito e de ótimo bom gosto. Bjs.

    • Reply
      Ana Paula
      11 de março de 2011 at 10:50 am

      @Ana, Olá! Obrigada! Fico muito feliz que tenha gostado do post. Eu realmente amo filmes no estilo do “Amélie”. Espero que eu consiga satisfazer às leitoras com minhas dicas. Aliás, se tiver alguma, pode enviar, verei com prazer! E continue comentando. Sempre precisamos de feedbacks rsrs Beijão!

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.