Chat Feminino
Livros

Para Curtir: A Menina que Roubava Livros

Olá galerinha! Me empolguei com o clima melancólico na nossa playlist dessa semana e resolvi embarcar na onda. O Para Curtir de hoje será literário e terá aquele clima frio e tristonho da Alemanha Nazista.

A Menina que Roubava Livros é um romance escrito pelo australiano Markus Zusak e publicado em 2005. A Morte é a narradora que acompanha a trajetória de Liesel, uma menina que, enquanto era levada por sua mãe pra adoção, é surpreendida pela morte do irmão mais novo. Ali é seu primeiro encontro com a narradora. Durante o funeral do seu irmão, percebe que o coveiro deixa cair um livro : “O manual do coveiro”. Este também é o primeiro livro que ela rouba.

Chegando ao seu destino, passa a viver com o casal Hubberman (a firme Rosa e o amável Hans) na rua Himmel. A morte relata com encanto os momentos que a menina passou junto aquelas pessoas. Sua amizade (e amor não nomeado) por Rudy, o encontro de Hans, com Max, o judeu. As brincadeiras, descobertas, travessuras, aprendizado e, principalmente, sua paixão por livros. Roubar livros, nesta história está para além de um ato leviano. É parte do crescimento pessoal, da construção de mundo dela.

É uma trama realmente envolvente. A estrutura da narrativa é bem diferente das convencionais. A narração vai e volta no tempo, como se fosse realmente alguém nos contando um segredo. Aqueles momentos só pertencem à memória da Morte e ela resolveu compartilhar conosco. É esta a impressão que dá. Os personagens são de uma verdade espantosa. Com suas qualidades e defeitos, tudo tão crível que é impossível não se apaixonar por eles.

O clima é sempre sombrio, afinal, estamos no meio da Segunda Guerra Mundial. A característica bondosa dos Hubberman traz alguns momentos de tensão. E os únicos momentos de ‘´luz’ são aqueles onde Liesel se permite ser uma menina, quase adolescente , na descoberta do mundo e de seus sentimentos.

Não esperem muitas surpresas para o final. A Morte trata de ‘´ceifar’ todas elas, e mesmo assim ficamos presos às suas palavras, que para nossa surpresa, são de um teor filosófico… Como se a humanidade, e todas as coisas pelo que ela passou tenham-na deixado mais humana, mais preocupada, e encantada. Eu que adoro citações, me vi num paraíso de palavras bem articuladas. E se vocês forem sensíveis… Separem lenços para o final (só um aviso, porque eu chorei litros).

Leiam. Apaixonem-se e comentem sobre sua experiência com este livro. Afinal: “Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler.”

You Might Also Like...

3 Comments

  • Reply
    Tati
    16 de junho de 2011 at 5:34 pm

    Livro LINDOO! Do tipo que quando começa você não quer parar até terminar. Lembro que li super rapido e depois não queria que chegasse o final hahaha Mas é apaixonante mesmo! Nem o ambiente sombrio tira a graça da Liesel.

  • Reply
    Larissa Alcântara
    5 de julho de 2011 at 6:51 pm

    Eu AMEI esse livro, chorei muuuuuito mesmo no final, e é que nem choro com facilidade. Eu me apaixonei mesmo pelo Rudy *-*
    Ai ai, muito linda mesmo a historia!

  • Reply
    [Cinema] - A menina que roubava livros | Chat Feminino
    8 de fevereiro de 2014 at 10:00 am

    […] que roubava livros” há alguns anos dos meus pais, de Natal, li e me apaixonei. Tem até resenha dele aqui no blog, escrito por Ana Paula, antiga colaboradora daqui. Anos depois soube que ele seria adaptado para o […]

Leave a Reply