Chat Feminino
Cinema

Cantinho da Leitora: Invictus

Olá leitores do C-F,

Aqui quem fala é a Lusinha, antiga integrante da equipe, que saiu com um aperto no coração. Achava demais fazer parte dessa equipe tão linda, mas com o tempo escasso, não queria continuar com minha falta de comprometimento com as meninas e com vocês. Só que a saudade daqui bate de vez em quando e cá estou novamente para dar meu pitaco em algum assunto.

Ontem fui ao cinema assistir a Invictus. A primeira vez que assisti ao trailer desse filme fiquei com vontade de conferi-lo, pois a história se passa na África do Sul, bem na época que o Nelson Mandela – ou Mandiba, como os nativos gostavam de chamá-lo – assumiu a presidência daquele país. Achei que seria uma boa oportunidade para conhecer melhor a história dele, Nelson Mandela, um ícone da história mundial e com a atuação de Morgan Freeman no papel principal e Matt Damon de coadjuvante, esperava um bom filme.

Invictus acompanha o período em que Nelson Mandela (Morgan Freeman) sai da prisão em 1990, torna-se presidente em 1994 e os anos subsequentes. Na tentativa de diminuir a segregação racial na África do Sul, o rugby é utilizado para tentar amenizar o fosso entre negros e brancos, fomentado por quase 40 anos. O jogador Francois Pienaar (Matt Damon) é o capitão do time e será o principal parceiro de Mandela na empreitada.

E não me decepcionei. Como a própria sinopse descreve, Mandela percebe que o rugby representa mais que um esporte para aquele país e inspira o capitão do Springboks a levar isso adiante. O filme todo baseia-se na tentativa do tima da África do Sul em ganhar a copa mundial de rugby, mas com uns paralelos mostrando a história do país e as filosofias de Mandela, que foi um grande homem de um nível espiritual inigualável. Baseado no livro Playing the Enemy: Nelson Mandela and the Game that Made a Nation, escrito por John Carlin, o roteiro do sul-africano Anthony Peckhan e a direção de Clint Eastwood traz momentos emocionantes, como no final do filme quando se vê a música Osiyeza (se não estou enganada) sendo cantada pelas milhares de vozes. Arrepiei!

“Não importa quão estreito o portão, como acusado de castigos o pergaminho, eu sou o mestre do meu destino: Eu sou o capitão da minha alma.” – trecho retirado do poema Invictus de William Ernest Henley, poema que inspirou Nelson Mandela em seus dias de prisioneiro e o que o ajudou a seguir, mesmo quando ele achava que não tinha mais saída. Acesse-o na íntegra! (link ).

Pesquisando algumas informações sobre o filme pela internet a fora vi que não fui a única que gostou do filme. Gosto é pessoal, estamos cansados de saber disso, mas é só para corroborar a ideia de que vocês provavelmente farão parte do grupo de quem gostou. Porque Invictus é mais que um filme sobre esporte, política e rugby. Como li numa crítica, “é sobre a possibilidade da igualdade entre as raças e as condições sociais. Da união entre diferentes. Da tolerância. Enfim, de todas estas maravilhosas utopias que amamos acreditar.”

Recomendo!

Antes de tudo, queria agradecer à Lusinha pelo post lindão! E se você leitora quiser participar do Cantinho da Leitora basta enviar seu post pra [email protected] que a gente posta!

You Might Also Like...

2 Comments

  • Reply
    Elfinha
    8 de março de 2010 at 2:41 pm

    É um filme que estou doidinha para assistir!!! =)))
    Beijos

  • Reply
    Marcela D
    10 de março de 2010 at 3:19 pm

    Ai, vou ver amanhã! Já li alguns textos sobre Nelson Mandela… sou fã dele! E eu soube que foi ele mesmo quem indicou o Morgan Freeman pra o papel né? Adorei :D
    Beijos!

Leave a Reply