Passando o Carnaval em: Salvador | Chat Feminino
Comportamento

Passando o Carnaval em: Salvador

A série “Passando o Carnaval em” chega à Salvador, como nunca passei o carnaval lá então pedi a duas leitoras contarem os relatos sobre como é o carnaval baiano.

Raiane Correia é soteropolitana e foliã. Ela conta como é o carnaval de sua cidade Natal:

O carnaval de Salvador pra mim é o melhor do mundo e ele conta com 3 circuitos:

Batatinha (Centro Histórico) – é mais pra crianças e gente bem calma.
Osmar (Campo Grande/Castro Alves) – É bem movimentado e atrai jovens e turistas.
Dodô (Barra/Ondina) – É o circuito que mais movimentado portanto é para aqueles foliões que gostam mesmo de pular carnaval. E este é o circuito que mais atrai turistas até por ser um dos pontos turísticos mais importantes de salvador.


Circuito Barra-Ondina

Blocos:
Camaleão ( Chiclete com banana) – 840,00 O dia.
Coruja ( Ivete Sangalo) 650,00 O dia.
Eva (Saulo Fernandes) – 380,00 O dia.
Papa ( Claudia Leite) 340,00 O dia.
Timbalada ( Timbalada) 340,00 O dia.
Crocodilo ( Daniela Mercury) 340,00 O dia.
Balada ( Jamil) 300,00 O dia.

Mais blocos e seus valores: Aqui

Alimentação e bebida: Existem vários ambulantes que vendem comida e bebida. Em relação à comida aconselho que comprem alimentos industrializados para que não haja nenhum perigo com a contaminação. Valores em geral um refrigerante custa uns R$2,00 reais em media, a cerveja R$2,50 e entre outras bebidas… Claro que nos Camarotes os valores mudam.

Transporte: Não aconselho ir de carro só se o camarote disponibilizar estacionamento ou então a pessoa chegar bem cedo pra conseguir uma vaga. O jeito então é pegar um taxi ( Em media 30,00) Ou um ônibus ( 2,60). O governo disponibiliza uns mapas no circuito , mostrando como se locomover e os horários dos trios.

OBS: Tenham muito cuidado com os objetos de valores e nunca deixe-os a amostra. E venham todos para o melhor carnaval do mundo !

Natália Linhares é natalense, chicleteira e já passou o carnaval na Bahia, ela conta:

Salvador possui um carnaval de dimensões gigantescas. No final do ano anterior já começam os ensaios dos blocos, que por si só já são uma grande festa. Em fevereiro, o festival de verão abre a temporada “a-cidade-respira-carnaval”, e então, até a data marcada para a grande festa, existe folia todos os dias nas ruas.
Quem quiser passar o carnaval em SSA e achar que deve aproveitar todo e qualquer momento: prepare-se para dormir pouco; no máximo um descanso entre 06:00 e 10:00 horas da manhã.


A concentração dos blocos nas ruas começa em torno das 10:00 horas; por isso, óculos escuros, protetor solar e muita água para agüentar a maratona (como dica, também vale levar mais de um tênis, pois, dependendo do seu grau de animação, pode ser que ele não resista a todos os dias). Quando o último bloco do dia encerra sua participação, o primeiro do dia seguinte já se prepara para sair.

Os circuitos oficiais dos blocos são: Dodô (Barra/Ondina) e Osmar (Campo Grande). Vou confessar que o circuito Dodô é mais bonito de viver, com aquela visão maravilhosa do farol, galera mais bonita e um vento maravilhoso para diminuir o calor. Porém, o Campo Grande é mais animado, apesar do empurra-empurra frenético e do excessivo calor humano.

São muitas as opções de blocos e todos têm uma marca característica, seja pela sua banda, seja pelo seu público. O mais concorrido, de longe, (e mais caro também) é o domingo do Camaleão, com Chiclete com Banana; impressionante como o Chiclete arrasta multidões, sendo sua “pipoca” a mais conhecida de toda a cidade. Outro bloco bastante concorrido é o Me Abraça, puxado pela banda Asa de Águia, qualquer dos dias em que saia.

Mas os blocos não são a única atração por lá. Os camarotes também são bastante procurados, pois muitos deles fazem uma festa à parte, além de concentrar muitos famosos. Os camarotes mais procurados custam tanto quanto os blocos, como, por exemplo, o Camarote Salvador, que vende sua segunda-feira por R$ 1.290,00. Os preços são diferenciados por sexo; as mulheres pagam sempre menos (o mesmo dia nesse camarote, para as mulheres, custa R$ 890,00).

Com relação à hospedagem, os preços são bastante salgados sim. Portanto, quem está querendo conforto, prepare o bolso. É verdade que a essas alturas é muito difícil achar vaga de hospedagem, mas pode ser que alguém desista, então não custa tentar.

Eu prefiro ficar em um hotel meio caidinho, que tem como único luxo ar-condicionado, mas que fica localizado “apenas” na Avenida Sete de Setembro (sim, aquela da música: “Na Avenida 7, na paz eu sou tiete, a festa vai começar”). É nela que se inicia o desfile dos blocos do circuito Campo Grande, e onde todos param para admirar a pérola negra do carnaval, o Ilê Aiyê, que quando passa deixa qualquer um fascinado com sua beleza de ritmo, cores, movimento e tradição.


Falando em tradição, não há como deixar de falar nos Filhos de Gandhy, um dos blocos mais antigos do carnaval baiano, que encanta a multidão ao formar um imenso tapete branco e azul, e principalmente a mulherada, que fica louca com a já conhecida troca de uma guia por um beijo. Mas vou falar uma coisa: eles podiam substituir a alfazema que eles carregam em frascos e ficam borrifando em todo mundo por um 212 ou algo parecido; seria mais empolgante.

Com relação ao transporte, é mais seguro andar de táxi. Sai mais em conta e é uma garantia de chegar exatamente ao local desejado sem nenhuma complicação. Eu e minhas amigas acabamos fazendo amizade com um taxista e é ele quem sempre nos tira do sufoco. Dois dias antes nós ligamos para ele avisando sobre a chegada e, no dia e hora marcados ele está presente no aeroporto para nos levar a qualquer canto. E durante todo o carnaval é assim que funciona; se ele estiver em outra corrida, manda alguém de confiança para atender nosso chamado.

A maior festa de rua do mundo une pessoas de todos os cantos do Brasil e do mundo; agrada a todos os gostos, pois, quem pensa que carnaval em Salvador é só axé, se engana e muito. A mistura de ritmos, de povos, de culturas, de sotaques, de idiomas, de cores, de sons é um verdadeiro espetáculo que marca para sempre, rende muitas histórias e deixa uma saudade que nunca acaba.

A verdade é quem passa o carnaval em Salvador uma vez não vai querer saber de outra coisa. Então para quem está pensando em ir, eu garanto que vale muito a pena.

Meninas, sei que o post ficou enorme, mas vale super a pena ler.
Gostaria de agradecer à Raiane que se disponibilizou a escrever o post quando procurei leitoras de Salvador pelo twitter e à Natália, amiga pessoal querida que escreveu mediante meu convite! :D

Beijinhos

Post Anterior Próximo Post

Aproveita e veja também

9 Comentários

  • Responder PALOMA 18 de Fevereiro de 2011 at 11:14 am

    MUITO BOM TEM TD QUE QUERIA AMEI
    =D

  • Responder 18 de Fevereiro de 2011 at 2:23 pm

    Tenho amigos morando por lá agora…dizem que é uma loucura mesmo! hehe mas aqui no Rio a coisa também é agitada ;P
    Beiiijo, Nary!
    Volteiiii o/

    • Responder Nary 18 de Fevereiro de 2011 at 4:04 pm

      @Rê,
      voltou mesmo!!??!
      AEEEEE

      e sobre o carnaval no Rio, aguarde post ;) hehehe

      bjooooo

  • Responder Natalia Linhares 18 de Fevereiro de 2011 at 7:30 pm

    Como eu queria estar lá esse ano =/

  • Responder Sandrini 19 de Fevereiro de 2011 at 1:03 pm

    Nossa depois desse post deu a maior vontade de ir conhecer salvador! Adoro demais carnaval!

  • Responder Alinne Reis 19 de Fevereiro de 2011 at 3:03 pm

    Eu fui pra Salvador sozinha e foi o melhor carnaval da minha vida, só estando lá pra explicar. Dá pra fazer trocas e vendas de abadás no Aeroclube Plaza, é um feirão! Conheci algumas pessoas e fiz negócio lá pra poder sair nos mesmos blocos dos meus novos amigos. Conheci o pessoal no Orkut na época e trocamos telefones e masrcávamos sempre de encontrar em algum lugar pra ir pra concentração. Foi demais, voltarei com certeza.

  • Responder Moises filho 1 de Março de 2011 at 5:22 pm

    Acho que deveria vim no cnaval de salvador e ver realmente como ele antes de comenta!!!!

    • Responder Nary 1 de Março de 2011 at 6:19 pm

      @Moises filho,
      eu não sei se você leu o post, mas convidei duas leitoras que passaram o carnaval em salvador. Uma mora na cidade e a outra passa sempre o carnaval lá. ^^

      Acho que você deveria ler o post todo antes de comentar. ;)
      att

      Nary

  • Responder fer 6 de Março de 2011 at 11:39 pm

    parabens pela materia, a descrição do melhor carnaval do mundo foi perfeita. passei 2 anos seguidos la, e hoje estou vendo da tv morrrrrrrrrrrrendo de vontade de estar la.
    Oi, gostaria de saber como os famosos fazem para chegar intactos nos camarotes, já que é uma aventura andar pela barra ondina, atravessar pipoca e trio passando. será que eles chegam bem cedo? ou andam escoltados por 300 seguranças? mas na hora de ir embora eles tbem passam sufoco pelas ruas e lutam por um taxi como nós simples mortais?

  • Responder