Música Archives | Chat Feminino
Por Categoria

Música

Música

Lollapalooza 2017: valeu a pena ter ido?

Depois de dois dias intensos de shows e muita caminhada, vim aqui contar tudo que achei do Lollapalooza 2017, meu primeiro ano no festival. Será que valeu a pena ter ido? Vem comigo que conto tudo que vivi nesses dois dias malucos!

Lollapalooza Brasil 2017

O Transporte

Existiam várias formas de chegar no autódromo de Interlagos, mas eu e minhas primas decidimos ir de Uber e confesso que foi uma decisão boa e ruim ao mesmo tempo. No sábado pegamos um trânsito infernal e demoramos muito pra chegar, além do motorista ter deixado a gente super longe da entrada e ainda tivemos que caminhar uns 25 minutos pra entrar na fila do portão 8 e quem conhece sabe, da entrada até os palcos é uma pernada grande. Enfim, chegamos mega cansadas no show do Cage The Elephant. Na volta tentamos pegar um cabify mas não rolou e pegamos uber de novo, aproveitei, peguei o telefone da motorista e no domingo fomos e voltamos com ela, bem melhor. ;)

Acho que combinar com um motorista é melhor, se você não quiser pegar o combo metrô + trem pra chegar em Interlagos, ficou bem mais cômodo pra gente no domingo e demorou bem menos!

Dói tudo mas hoje tem The Weeknd, nada mais importa! #lollapalooza2017 #lollapaloozabr #lollapalooza #lollabr #naryviaja

Uma publicação compartilhada por Blog Chat Feminino (@chatfeminino) em

 

Interlagos

Meldels, como Interlagos é longe e como é grande. Achei dois pontos bem negativos. Você demora demais pra ir e pra voltar e demora muito lá dentro pra se deslocar de um palco pra outro, apesar de ser tudo sinalizado e você ganhar um mapinha na entrada, tinha pra quê ser tão longe? No sábado eu nem fui no palco Ônix, o último, porque estava com as pernas super doloridas da andada gigante que demos pra entrar. Eu entendo que os palcos serem distantes uns dos outros faz com que o som dos shows não vaze mas não dava pra eles serem mais perto não?!

A pulseira Axe Cashless e as filas

Esse ano foi o primeiro ano da pulseira Axe Cashless, que era a entrada do festival e a pulseira que você carregava com dinheiro para comprar qualquer coisa do festival, desde uma água até uma camiseta no Lolla Market. Achei a ideia bem interessante e não tive problemas na entrada, mas quando fui fazer a primeira compra em um dos ambulantes, não consegui porque tinha colocado dinheiro via internet (por orientação do próprio site do festival) e a primeira compra tinha que ser no bar, achei sem lógica. As filas estavam enormes no sábado e as pessoas pegavam até 4 chopps de uma vez pra não enfrentar a fila novamente. No domingo as filas estavam menores (eu tive a impressão de ter até mais gente por lá mas disseram que tinha menos, enfim) e até conseguimos comer batata frita. No sábado eu comi doritos que tinha levado na bolsa, a salvação. rs

Lolla is love ❤ #lollapaloozabr #lollapalooza2017 #naryviaja #lollapalooza

Uma publicação compartilhada por Blog Chat Feminino (@chatfeminino) em

 

Os shows

Finalmente os shows né? A razão do festival acontecer. Vou fazer uma lista do que vi e o que achei de cada um, pra ficar mais objetivo. Lembrando que tudo é bem de acordo com meu gosto pessoal.

Cage the elephant: Nem conhecia a banda direito mas minha prima queria muito ver e fomos, achei ótimo! Que cantor mais maluco da vida, subiu lá nas estruturas de metal, se jogou na galera, passou até do tempo de show previsto pra eles mas estava tão divertido que deixaram eles terminarem o set list. Me surpreendeu e gostei demais!

Criolo: Já conhecia Criolo e já tinha ido em um show dele e esse do Lolla foi maravilhoso como sempre. Com discurso anti cultura do estupro e anti racismo, ele levantou a galera com as músicas em forma de protesto e toda maravilhosidade que lhe cabe. Foi pra mim o melhor show do sábado. Arrepiante, emocionante. Amei mesmo.

Tove Lo: Conhecia algumas músicas da Tove Lo e curti bem o show, achei divertido e ela tem uma presença de palco bem massa. Claro que o combo Cool girl + Habits pra encerrar a apresentação fez a galera (eu inclusa) ir ao delírio.

Chainsmokers: Foi tudo diferente do que eu pensava, não sabia que a dupla era de Djs e achei até interessante. Não ficamos até o fim, mas até que curti, especialmente quando rolou um pedacinho de Shape of You do Ed Sheeran. <3 Ah, os efeitos de luz do palco são bem legais, curti.

Duran Duran: Não sou a maior fã do Duran Duran mas o show deles é muito legal! Achei triste só de ser numa hora meio ingrata, 16h30, tava um calor meio bad, mas deu pra relevar. rs

Two Door Cinema Club: Eu já tinha ouvido algumas músicas da banda mas minha prima queria ir demais vê-los, confesso que achei o show muuuuuito ruim. Minha nossa que coisa chata. Tanto que ouvi umas cinco músicas e vazei pro palco Ônix pra esperar The Weeknd.

The Weeknd: ME-LHOR SHOW DO LOLLA!!!!!!!!! <3 Fui especialmente para vê-lo e foi tudo que eu esperava e mais! Ele conseguiu reunir os hits do momento (Starboy, False Alarm e I Feel It Coming) com músicas mais antigas como Often. Achei incrível, setlist perfeito e animação do começo ao fim. Amei amei amei amei!

I’m a motherfucker starboy. #lollabr #lollapalooza #lollapalooza2017 #theweeknd

Uma publicação compartilhada por Blog Chat Feminino (@chatfeminino) em

The Strokes: Quando a banda veio no Planeta Terra em 2000 e alguma coisa (não lembro mais) estava em SP e não consegui ingressos, fiquei super triste e achei que fosse compensar nesse show do Lolla, mas infelizmente não. O show foi bem sem sal e a banda parava do nada por alguns minutos. Achei uó e fui dar rolé pelo festival pois não sou obrigada. rs

Mas e aí, valeu a pena?

Olha, valeu sim! Apesar de todos os pesares (meus pés seguem doendo até hoje #velhices), achei tudo muito divertido. Foram dois dias bem diferentes, nunca tinha ido num festival do porte do Lolla e quem sabe em 2018 estou de volta. ;)

 

Beijinhos!

Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram  Twitter | Facebook

 

Música

[Musical] O Musical Mamonas

Eu achei que seria muito fácil escrever sobre O Musical Mamonas, mas assim como é visível a emoção dos atores do palco, é a minha tentando colocar em palavras aquilo que só o olhar diz.
Assim como brinco que não converso com quem não sabe o que foi a Copa de 1994, viver a época dos Mamonas, mesmo sendo criança, é algo indescritível. E com O Musical, reviver essa magia e poder compartilhar risadas com outros não tem preço.

O Musical Mamonas
Todo mundo tem uma história sobre como conheceu Os Mamonas Assassinas, e comigo não seria diferente. Lembro que vi na TV e nem precisei implorar muito para que meu pai trouxesse um K7 gravado pra mim. Alguém do trabalho dele tinha o vinil (ou fita também) e fez uma cópia pra mim, assim, sempre que entrávamos no carro íamos ouvindo as músicas. E, através desse K7, tive mais acesso ao radinho de casa. Era o fim de semana todo ouvindo, rebobinando a fita, assistindo O Mamonas, na Globo e/ou no SBT. Não tinha um programa que eles iam que a gente deixava de assistir. E mesmo que fosse tarde, tipo o , eu pedia e meu pai me acordava na hora. E tudo isso graças a simplicidade deles, as músicas divertidas e as referências engraçadas que agradavam (e agradam) pessoas de 8 a 80.

20 anos já se passaram e a fase de despedida parece que nunca acaba.

São 20 anos e parece que foi ontem, né? Todo mundo fala isso e tem esse sentimento que traz sorrisos, mas também aquele apertinho no coração. Porém O Musical transforma essa saudade em alegria e ainda mostra que como nós, Os Mamonas eram movidos pelos sonhos e claro, pelo desejo e atitude para alcançar esses sonhos. 

E quem amafagafar os mafagafinhos, bom amafagafigador será.

Um álbum que você canta do começo ao fim, sem querer pular nenhuma música e ainda por cima sabe as letras, mesmo que role um embromation! Assim também é O Musical, que traz além de músicas dos Mamonas, as suas influências e aquilo que era sucesso no Brasil nos anos 90, tanto nacional quanto internacional…afinal, a galera curtia Guns, Nirvana…

Atenção, Creuzebek

O Musical Mamonas

A TV Folha entrevistou o Ruy e o Arthur, onde eles contaram sobre suas lembranças dos Mamonas e detalhes do musical.

Sigam as redes do musical Twitter, Facebook, Instagram e Snap @omusicalmamonas!
Os ingressos estão disponíveis aqui, não deixe para depois xuxuzinho!

Música

[Música] – Bandas para ouvir até o final de 2015!

Este ano está acabando e se você não cumpriu nenhuma das suas metas, está na hora de pelo menos ter bandas e músicas novas como trilha sonora para suas lamúrias. Por isso, apresento algumas bandas que você deveria ter ouvido nesses últimos nove meses!

Foto via Shutterstock

James Bay

Se eu começar falando que ele é fofo vocês não vão fechar este post, né? Mas sim, ele é fofo!
Não lembro se conheci através de Hold Back The River ou Let It Go (a balada triste sobre o fim de um relacionamento), o importante é que esse mocinho cheio de estilo, debutou neste ano um dos melhores álbuns segundo o meu Spotify e infinitos repeats que o last.fm não me deixa metntir.

Let It Go tem mais de 18 milhões de acessos no YouTube e foi publicado em março deste ano.

Alvvays

Archie, Marry Me é uma das músicas que mais fico cantarolando, os vocais de Molly Rankin fofinhos, mas cheio de “garanchos” deixam essa música totalmente cativante. É um pedido praticamente impossível de negar. Ah! E outra razão para amar a banda é que ela é de Toronto, o melhor lugar do mundo.

Future Islands

Mas Anne, você vai falar de banda velha? Sim, vou! Porque as músicas recentes são (mais) maravilhosas ainda e BADBADNOTGOOD fez o favor de melhorar (ainda mais) Seasons (Waiting On You) com sua versão. Sabem quando fazem remix, a música de três minutos dura duas horas e fica irreconhecível? Nesta versão não acontece isso.

Ativos desde 2006, a banda só foi “notada” ano passado pelo Pitchfork, David Letterman e Jimmy Kimmel.

Hinds

Hinds é uma banda que antes chamava Deers, trocaram de nome neste ano por causa de outra banda homônima (desconhecida), tudo isso pra “não causar confusão”. Arrã. Bem, “take it with a smile” e vamos ouvir muito essas meninas de Madrid que tem apenas uma música no Spotify (aaaah!), mas tem um bandcamp lotado pra gente curtir (y).

Gengarh

Acho que combina com pessoas que gostam de alt-j ∆, mas não sei, eu não gosto de alt-j ∆ e ainda assim gosto de Gengarh. Cute na medida certa, She’s A Witch, junto com Fill My Gums With Blood são minhas favoritas e sim, o vocal é fininho mesmo.

Ia falar da Torres também, mas minhas listas tem sempre cinco itens, então fica pra uma próxima.
Das bandas “apresentadas”, qual você mais gostou ou gosta e qual deveria estar aqui na lista e eu esqueci?

Música

[Playlist] – Trabalhando e cantando

Fazia tanto tempo que eu não criava uma playlist aqui pro blog que resolvi voltar a fazer isso regularmente, pelo menos uma vez por mês. A de hoje vai ter músicas que andam tocando muito no meu spotify e que simplesmente não consigo parar de ouvir.
Chamei-a de trabalhando e cantando porque é bem o que acontece, eu fico ouvindo e cantando as músicas enquanto produzo. Aliás, só consigo trabalhar ouvindo música e sei que tem um monte de gente que também é assim. ;)

playlistFoto: Shutterstock

Espero que gostem da listinha. Dá o play!

Música

Backstreet Boys em Recife – In a World Like This Tour

Ver o show de uma banda que você gosta desde os 13/14 anos 16 anos depois traz um misto de sensações quase que inexplicáveis.
Ver os Backstreet Boys ao vivo em Recife foi mais do que eu poderia um dia conceber e que sempre irei guardar na memória.

backstreet-boys-recife3

O show é todo redondinho. A banda canta seus hits mais famosos e mescla com músicas do cd “In a world like this”, que intitula a turnê, que é de comemoração aos 20 anos da banda.
backstreet-boys-recife2
Foram momentos de euforia e muita alegria, tanto que na abertura do show (com The Call) eu chorei feito uma criança, mas era de felicidade tá?

Eu fiquei no show no pit, uma área estrategicamente posicionada “dentro” do palco. Dava pra vê-los de todos os ângulos e foi o melhor que poderia ter me acontecido.
Era tão perto que dava pra conversar com eles no meio do show.

backstreet-boys-recife5

Kevin sendo fofo <3

Uma das coisas que mais adorei e que me chamou muito atenção foi o carinho da banda com o público e a interação deles.
Brian, Kevin e AJ foram os mais fofos e queridos. ❤️
Depois de quatro anos eles voltaram com gosto de gás e o show de abertura da turnê no Brasil não poderia ter sido melhor.

backstreet-boys-recife4

O Brian sentou no palco e virou pra gente pra dar oi! Tentei tirar umafoto de quando ele falou comigo mas preferi dar oi e depois bater a foto. hehehe

Foram duas horas de pura nostalgia, eles fazem as coreografias originais dás músicas, e não me arrependo um segundo de ter ido!!

backstreet-boys-recife
Infelizmente vi o show sozinha porque nenhuma amiga tinha comprado o pit e o pessoal que estava nessa área em sua maioria é super chato, mas a culpa nem é da banda né? Uma pena que a fã base deles em alguns momentos seja tão desunida, mas relevei e curti cada milésimo de segundo de show!

backstreet-boys-recife6

Mais perto que isso só sentando no colo de um deles. hahahah

Valeu a pena!!!!

backstreet-boys-recife7

Eu gravei bem mais coisas e vou editar tudo junto num vlog, em breve aqui no blog! :)
VLOG no ar!! Clica aqui para assistir!

Beijinhos