Comportamento Archives | Chat Feminino
Por Categoria

Comportamento

Comportamento

Sobre a tal sororidade

Eu falei sobre feminismo lá em 2015 aqui no blog e ainda estudo muito sobre o assunto e posso sim me considerar feminista e tenho tido muita vontade de trazer mais conteúdo desse viés aqui pro Chat Feminino. É uma coisa que eu já falo muito em outras redes sociais que achei justo trazer a discussão pra cá também.  Dentro desse conceito, o do feminismo, a gente encontra várias palavras que muitas vezes o significado fica difuso nas redes sociais e uma delas é a tal sororidade. Hoje eu resolvi falar um pouco sobre ela e porque ela é tão importante para as mulheres.

Você certamente já deve ter ouvido essa palavra em algum lugar e de acordo com o Dicionário de Estudos de Gêneros e Feminismos, de Suzana Beatriz Gamba, sororidade é:

“ uma dimensão ética, política e prática do feminismo contemporâneo. É uma experiência subjetiva entre mulheres na busca por relações positivas e saudáveis, na construção de alianças existencial e política com outras mulheres, para contribuir com a eliminação social de todas as formas de opressão e ao apoio mútuo para alcançar o empoderamento vital de cada mulher”.

Eu sei que a construção do conceito parece complicada, mas é mais simples do que você pode imaginar. Aliança é parceria, é empatia, é apoio.

SororidadeFoto: Shutterstock

Quando crescemos, nós mulheres somo incentivadas a julgar, invejar e competir com outras mulheres. Conheço irmãs que cresceram em um ambiente separatista, de competição e aquela velha inveja, ao invés de amizade, união e apoio. Mulheres não devem competir.

E é baseado nessa premissa de que as mulheres não devem competir, e sim se apoiar, que a sororidade está inserida. Mulheres, em várias situações são julgadas e apontadas primeiro por outras mulheres. Por exemplo, uma moça foi estuprada e o caso foi parar nas redes sociais, quantos comentários de outras mulheres com o seguinte teor a gente não vê:

“Se tivesse na igreja isso não teria acontecido?”
“Também olha a roupa que ela estava usando.”
“Saiu de madrugada sozinha porque quis.”

Cadê o acolhimento? A aliança? Nós mulheres devemos ser por nós primeiro, unidas nós somos mais fortes.

A sororidade e a empatia devem andar de mãos dadas para que a gente consiga construir uma sociedade mais justa e igualitária. Enquanto as mulheres seguem brigando entre si, competindo e exaltando umas e diminuindo as outras, continuaremos com essa sociedade machista que a gente vive.

Estava conversando sobre isso com uma amiga e ela disse uma frase que eu gostei muito e apoio 110%: 

“o machismo cai quando as mulheres se unem e não se curvam mais”

Você não precisa ser amiga de todas as mulheres, mas não julgue-as apenas por serem mulheres. 

Sororidade vai além de amar, apoiar e ter empatia pelas suas amigas. É simples e fácil apoiar quem a gente ama né? Difícil é não julgar aquela menina que infelizmente nunca nos desceu. Aquela mocinha que sempre nos tratou mal, mas que, não precisamos amar, mas também não precisamos julgar. É um exercício difícil e árduo, mas que demanda tempo e também vontade. ;)

Na internet a gente vê muito posts e camisetas com a frase:

Num mundo cheio de Kardashian, seja uma Diana.

Feminismo - O que não fazer

Nunca exalte uma mulher diminuindo as outras.

Lady Di foi uma mulher incrível, eu sou super admiradora da história dela, mas não precisa diminuir as Kardashians para ressaltar o quanto Lady Di foi maravilhosa. Aliás, porque as Kardashians não são consideradas maravilhosas também? Eu por exemplo gosto demais de todas, não entendo a diminuição que a sociedade faz com elas, uma família praticamente feminina, cheia de empoderamento, Girl Power e empreendedorismo. Foi porque a Kim ficou famosa depois de uma sex tape e fez desse limão uma baita de limonada na vida dela?

Se estamos falando tanto em não julgar umas as outras, porque então esse julgamento preconceituoso com as Kardashians? São esses pequenos detalhes, que mudam as coisas sabe?

Eu vejo também muita gente falando de competição amigável entre as mulheres, não se enganem, isso também é só mais uma perpetuação do machismo. Sororidade não é isso! Sororidade é empatia, acolhimento, ajuda, apoio.

É uma desconstrução diária, um exercício de rever conceitos e atitudes. De tentar ser cada dia um pouquinho melhor e juntas, vamos sempre mais longe!

Eu acredito!

 

Beijinhos!

Me segue nas Redes Sociais ⇒ Instagram  Twitter | Facebook

 

Comportamento

A maquiagem está tirando nossa identidade?

Senta que lá vem problematização. 

De uns tempos para cá eu tenho percebido uma tendência nas maquiagens que vejo instagram afora: todas as pessoas estão ficando iguais. Se você analisar bem, alguns passos são seguidos, pasteurizando o rosto do pessoal: sobrancelha bem definida e arqueada (tem umas que são tão mas tão destacadas que parecem com o símbolo da nike), contorno bem marcado, iluminador na ponta do nariz, cílios postiços gigantes e uma boca nude claramente contornada maior no tamanho da boca natural da pessoa. Essas características te lembram alguém?
Sim, a Kylie Jenner é uma das adeptas de todas essas técnicas, especialmente a bocona enorme (tanto que a moça já fez inúmeras aplicações de botox para aumentar os lábios). Não digo que a moça é feia, nem que a maquiagem que ela usa é errada, mas é a identidade dela, não de todo mundo. Então porque todas as pessoas estão ficando iguais ou querendo ficar iguais à Kylie? Porque estamos perdendo nossa identidade depois de uma horinha sendo maquiadas?

Maquiagem e identidadeFoto: Shutterstock

Não me entenda mal, eu amo maquiagem, eu tenho um arsenal até bem interessante de produtos, adoro me maquiar e sim, de vez em quando uso algumas dessas técnicas citadas, mas não sinto que preciso delas pra sair sempre. Inclusive, se você me encontrar pela rua em um dia de semana, mais fácil me achar de cara lavada do que maquiada, porque eu aprendi a me gostar sem maquiagem, mesmo com poros aparentes, sardas e olheiras.

Eu participo de um grupo de maquiagem no facebook com mais de 40 mil pessoas e vocês sabem que lugar com muita gente sempre rola polêmica, especialmente na internet né? Pois bem, semana passada rolou um post com a imagem abaixo, print do twitter da maquiadora Vanessa Rozan:

Pasteurização da maquiagem

Quando postaram essa imagem rolou uma comoção de pessoas falando: eu afino meu nariz mesmo e daí? Eu não vejo problema em você afinar o seu nariz, de verdade, eu vejo problema em você não parar para pensar ao menos porque você está fazendo isso. Está apenas reproduzindo uma técnica que te foi imposta? Não gosta do seu nariz? Mas qual a causa de você não gostar do seu nariz? Quem te disse que apenas nariz fino e rosto 100% contornado é mais bonito?

Quando a gente passa base no rosto, ele fica meio uma tela em branco e muitas vezes perdermos os contornos naturais, por isso usar a técnica, pra devolver a profundidade que a gente “perdeu” na base, mas qual é essa real necessidade de afinar tudo, mudar tudo, se depois a gente vai tirar aquele reboco ali? Você gosta do que vê no espelho quando tira a maquiagem? Você tem mesmo que mudar sua expressão facial e seus traços pra ficar igual a todo mundo? 

Entenda que eu não estou aqui dizendo que você não pode se maquiar do jeito que você quer, to simplesmente tentando botar na sua cabeça uma dúvida válida sobre pasteurização e a pressão de estarmos sempre perfeitas, de bochechas fundas e nariz afilado. A pressão de ser como fulana, cicrana ou beltrana e simplesmente reproduzir técnicas que talvez nem fique tão legais assim no seu rosto, porque sim, cada rosto tem uma técnica de contorno e iluminação diferente e nem todo mundo fica bem de sobrancelha totalmente arqueada, por exemplo.

Maquiagem também é autoestima, mas precisamos pensar e analisar se a nossa autoestima está tão intrinsecamente ligada a queremos parecer com outra pessoa.

Pense nisso. ;)

E deixa sua opinião nos comentários, vou adorar ler!

Beijinhos!

Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram  Twitter | Facebook

Comportamento

Aprendendo a superar o boy lixo com a Dua Lipa

Vocês conhecem a Dua Lipa? A cantora inglesa tá bombando com duas músicas que você pode ter ouvido e não sabe que é dela: New Rules e Blow Your Mind. Ambas tocam muito no meu spotify e hoje pela primeira vez fui prestar atenção na letra de New Rules e foi ela que motivou esse post de hoje. Ela ensina você a se livrar daquele boy lixo que não te ama mas que vive atrás de você quando tá carente.
Dua Lipa New Rules

Vamos ao passo a passo? 

Dá o play no vídeo e VEM COMIGO!

1 – Não atenda a ligação dele

Boy lixo que só liga quando está bebado não te merece miga, você vale mais que isso. ;) Se alguém só te procura naquela hora da carência ou quando os níveis de álcool já ultrapassaram o normal, corre que é uma cilada!

2 – Não deixe ele entrar

Deixa o boy lixo entrar na sua casa, e na sua vida, só vai fazer você sofrer mais e ter que expulsá-lo novamente, porque no fundo você sabe que ele não vale nada não é mesmo? Se poupe dessa sofrimento dobrado e deixa ele bem longe de você.

Procura tuas amigas e vai pra balada, vai tomar um café, vai pro cinema, dar um rolé no shopping, se ocupa! Ocupar a mente com outras coisas é uma coisa bem interessante a fazer. ;)

3 – Não seja amiga dele

De acordo com Dua Lipa, e eu concordo, você sabe que se for amiga dele, vai acordar de manhã na cama dele. E isso minha amiga, dá uma dor de cabeça danada!

Anote os três mantras, repita até aprender a deixar fora da sua vida aquele boy que só te deixa pra baixo, só te desvaloriza e só te procurando quando você é a última opção. Você vai superar esse moço. ;)

Uma dica ótima é aprender a letra de New Rules e ficar cantando-a sem parar. rs

 

Beijinhos!

Siga nossas Redes Sociais ⇒ Instagram  Twitter | Facebook